Décadas recentes

No final da década de 1980, grandes mudanças e transformações estavam ocorrendo em termos de propriedade intelectual, não apenas no nível dos países, mas também em seu alcance global como resultado de negociações comerciais multilaterais, como a Rodada Uruguai do GATT que conclui em 1994 e o Acordo ADPIC que é um marco fundamental na evolução do regime global de propriedade intelectual.

Nas Américas, o México lidera essas mudanças, especialmente por meio do acordo comercial com os Estados Unidos e o Canadá (NAFTA) e é seguido por outros países como Argentina, Chile e Brasil. Os países andinos, por sua vez, no âmbito da Comunidade Andina de Nações-CAN, eles emitem as Decisões 344, 345, 351 e 486 que contêm um regime comum para a proteção da propriedade intelectual.

Um Comitê Organizador da Associação Interamericana de Propriedade Intelectual – ASIPI, por iniciativa de escritores americanos, convocou uma reunião internacional de especialistas, 25 de 17 países que se reuniram em Acapulco em 11 de abril de 1964 e depois na Assembléia realizada na Cidade do México, em 14 e 15 de abril do mesmo ano, fundou a ASIPI.

ASIPI é o primeiro organismo regional no campo da propriedade intelectual nas Américas e uma das organizações pioneiras em todo o mundo no campo da regional e desde sua criação, a ASIPI tem presença e reconhecimento internacional como um corpo representativo de propriedade intelectual nas Américas.

Antes de 1964, não havia institucionalidade interamericana que atendesse às necessidades, interesses e preocupações dos especialistas. O impacto da criação da ASIPI foi tal que no primeiro congresso realizado em Buenos Aires, um ano depois, reuniu 122 delegados de 16 países e hoje a ASIPI tem mais de 1.500 afiliados pertencentes a para todos os países americanos e outras regiões como a Europa, Ásia e África.

Desde sua criação até hoje, a ASIPI, pela atuação de seus diferentes Comitês Executivos, Comitês de Trabalho e reuniões realizados em toda a região, tem estado atenta à evolução positiva e acelerada que a propriedade intelectual registrou. nível global, respondendo de forma eficaz e responsável aos desafios e perspectivas que foram apresentados e cumprindo um papel de destaque como plataforma para o desenvolvimento econômico, social e regulatório de nossos países.

A ASIPI, como organização regional interamericana, é membro observador da Organização Mundial da Propriedade Intelectual – OMPI (http://www.wipo.int/members/es/organizations.jsp?type=NGO_INTy participa ativamente em outros fóruns internacionais como a Organização Mundial do Comércio – OMC e a Corporação da Internet para Nomes e Números Atribuídos – ICANN.